Sair da casa dos pais: como se programar financeiramente?

Sair da casa dos pais: como se programar financeiramente?

Espaço, privacidade, independência… muitos fatores estimulam a decisão de sair da casa dos pais e morar em um imóvel próprio. Por outro lado, o receio em assumir um compromisso financeiro de longo prazo pesa na balança.

Realmente, arcar com todas as despesas do lar, além das parcelas de um financiamento, é algo que deve ser ponderado. Desde que seja uma decisão devidamente planejada, contudo, não há motivos para preocupação em excesso.

Como você pode perceber, organização é a palavra-chave. Por isso, apresentamos neste artigo algumas dicas práticas para você se programar financeiramente e sair da casa dos pais. Confira!

Cultive o hábito de anotar seus gastos

Você consegue apontar, com precisão, com o que está sendo gasto o seu dinheiro? Muitas pessoas acreditam que sim, mas são surpreendidas ao colocarem os números na ponta do lápis. Gastos tidos como inofensivos podem causar um efeito devastador no seu orçamento.

Cultive o hábito de anotar tudo. Seja rigoroso, não deixe de lado nenhuma ocorrência, por menor que seja. Após um certo período, faça um levantamento e veja para onde está indo o seu dinheiro.

O princípio básico é não gastar mais do que se ganha, mas para quem está se planejando para sair da casa dos pais, não será o suficiente. Lembre-se que você terá gastos para começar a nova fase e, posteriormente, com as despesas mensais.

Acostume-se à futura realidade

Enquanto você se planeja, porque não já ir se acostumando à futura realidade do investimento em um imóvel? Afinal de contas, ninguém quer sair da casa dos pais para enfrentar dificuldades financeiras.

Procure fazer uma estimativa das despesas que entrarão no orçamento, como a prestação do financiamento, o condomínio e contas de água, luz e telefone. Não deixe de levar em consideração itens que passarão a ser de sua exclusiva responsabilidade, como a alimentação, por exemplo.

Feitos os cálculos, procure poupar o valor apurado e, com isso, se adaptar ao que vem pela frente. Assim, você evita o impacto de uma redução brusca em sua qualidade de vida e entra com mais confiança nesta nova fase.

Comece a poupar antes de sair da casa dos pais

Aproveite o tempo em que você ainda está morando com os pais para construir uma reserva financeira. O dinheiro que você economizou no item anterior pode ser utilizado para este fim.

Já que você terá que arcar com as prestações do financiamento por um longo período, é importante evitar o acúmulo de dívidas. Se você conseguir comprar os móveis à vista, por exemplo, evitará o pagamento de parcelas que, somadas à prestação, podem comprometer o seu orçamento.

Aproveite para projetar os gastos estimados com o próprio financiamento, como a emissão de certidões e o pagamento de tributos, como o ITBI.

Quanto mais leve o orçamento quando as prestações começarem, melhor. Então, vale a pena guardar algum dinheiro antes de sair da casa dos pais.

Escolha um imóvel que caiba no seu bolso

Se você colocou em prática as três dicas anteriores, pare e reflita: você conseguiria viver com tranquilidade com o dinheiro que sobraria após pagar a prestação do imóvel?

Caso a situação tenha parecido sufocante, ainda há tempo para rever os planos e buscar um imóvel mais adequado à sua realidade financeira.

Fatores como localização e espaço podem ser flexibilizados, mas não abra mão de pontos essenciais, como transporte e, especialmente, segurança.

Sair da casa dos pais pode representar um marco em sua vida. Não deixe de se programar para que a felicidade em seu imóvel próprio não seja abalada por problemas financeiros.

Gostou das dicas? Então curta agora mesmo nossa página no Facebook e acompanhe conteúdos exclusivos!

Gostou do texto?
Faça seu cadastro e receba todas as novidades do blog no seu email!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *