Refinanciamento de imóveis: tire suas dúvidas

Refinanciamento de imóveis: tire suas dúvidas

Os imóveis são uma ótima opção para quem precisa de dinheiro e serve para fugir dos juros altos, se comparados ao empréstimo pessoal. Sem contar que o valor liberado costuma ser maior, pois tem como base um percentual do valor do bem.

Assim, o refinanciamento de imóveis é uma excelente alternativa quando o orçamento apertar e você precisar pegar um empréstimo para pagar dívidas com juros mais altos ou até mesmo para investir nos negócios.

Neste post você vai tirar suas dúvidas de como funciona essa modalidade de crédito e quais são suas vantagens. Confira!

Como funciona um refinanciamento de imóveis?

É uma linha de crédito que utiliza um imóvel como garantia de pagamento das parcelas. Isso faz com que os juros caiam, pois diminui o risco de inadimplência do tomador.

O valor financiado costuma ser de 50% a 70% do valor do imóvel, o prazo é longo e a taxa de juros é menor se comparada a outros tipos de empréstimos.

De forma simples, funciona como qualquer outro empréstimo e as prestações devem ser pagas em dia, pois o imóvel que está alienado como garantidor do pagamento poderá ser utilizado para pagar o saldo devedor.

É preciso seguir os seguintes passos para validar a proposta e conseguir o empréstimo: simulação, análise de crédito, avaliação do imóvel, contrato e crédito.

Quem pode fazer um refinanciamento de imóveis?

Para se candidatar a essa modalidade de empréstimo é preciso ter um imóvel quitado no seu nome, não possuir restrições no CPF e comprovar renda que garanta o pagamento das parcelas dentro do limite estipulado por lei.

Os bancos costumam analisar uma série de situações, desde a quitação do imóvel até a renda mensal percebida pelo solicitante. No entanto, caso o imóvel não esteja quitado, é possível refinanciá-lo mesmo assim, desde que parte do valor liberado seja utilizada na quitação.

Também é possível conseguir o refinanciamento com algum tipo de restrição no nome, pois um imóvel é uma garantia bastante segura para o banco.

Quais são as vantagens do refinanciamento de imóveis?

Taxa de juros mais baixas, prazo maior para efetuar o pagamento das parcelas e, consequentemente, a liberação de um valor maior do que em outras modalidades de créditos são algumas das vantagens do refinanciamento de imóveis.

Além disso, é possível utilizar o dinheiro em qualquer tipo de transação, e a liberação só depende da análise e da assinatura do contrato, o que se constitui como uma maneira rápida de levantar o dinheiro necessário.

Qual é a documentação necessária e como solicitar um refinanciamento de imóveis?

Documentos pessoais e do imóvel serão solicitados na hora de fazer um refinanciamento. Os principais são:

  • RG e CPF;
  • comprovante de estado civil;
  • comprovante de residência;
  • comprovante de renda e matrícula do imóvel.

Pessoas casados precisam dos documentos e da assinatura do cônjuge para aprovar o refinanciamento.

É possível refinanciar imóveis não quitados?

Se você é participante do Minha Casa, Minha Vida ou possui outro financiamento e precisa de dinheiro, saiba que é possível, em alguns bancos, quitar o valor atual e levantar fundos para utilizar em outras frentes. No entanto, é preciso que a maioria das parcelas estejam pagas, pois, além do novo financiamento não cobrir 100% do valor do imóvel, uma parte do saldo será utilizada para a quitação da dívida.

O mais importante é prestar atenção na necessidade de realizar um refinanciamento de imóveis e como isso vai ajudar a melhorar a sua saúde financeira. De toda forma, é uma boa opção para quem precisa de crédito e não pretende pagar uma taxa de juros tão alta.

Conseguiu tirar suas dúvidas sobre o refinanciamento de imóveis? Ainda restou alguma questão? Deixe um comentário!

Gostou do texto?
Faça seu cadastro e receba todas as novidades do blog no seu email!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *