Planejamento financeiro familiar: 5 passos para comprar o primeiro imóvel

Planejamento financeiro familiar: 5 passos para comprar o primeiro imóvel

Para que o sonho de adquirir a sua casa própria fique mais próximo, é fundamental que você desenvolva um planejamento financeiro familiar. Somente assim será possível acumular os recursos necessários que permitirão que esse investimento aconteça. Lembre-se: o primeiro passo para sair do aluguel é organizar as suas finanças de modo a planejar melhor como será gasto cada centavo de seu salário.

Além de saber como economizar dinheiro para criar um fundo que permita comprar um imóvel, é fundamental tomar alguns cuidados ao realizar essa aquisição. Afinal, ela não é tão simples quanto se imagina, pois é necessário avaliar vários fatores antes de fechar negócio. Uma vez que, caso um erro seja cometido, não será tão simples corrigi-lo.

Por tudo isso, resolvemos escrever este artigo, o qual é um guia completo do que você precisa saber para conseguir comprar o seu primeiro lar, desde o planejamento financeiro até a assinatura do contrato. Boa leitura!

O que é um planejamento financeiro familiar?

De maneira bem simples, um planejamento financeiro familiar se baseia na organização das finanças da família para que ela consiga alcançar determinados objetivos e realizar seus sonhos. Assim, por meio dessa estratégia, é possível identificar como está a sua saúde econômica atual, de modo a definir o que será preciso fazer hoje para garantir que um anseio se torne realidade no futuro.

Para que o uso dessa ferramenta seja eficiente, é preciso estabelecer metas de curto, médio e longo prazos, as quais visam atingir um objetivo muito maior. Também é necessário estar consciente de que será preciso ter disciplina para conseguir aplicar na prática as ações planejadas, pois nada adiantará se o planejamento for seguido por apenas poucas semanas.

Outro aspecto fundamental da estratégia é criar condições para que a família consiga passar com menos problemas em momentos de turbulência, como a perda de uma fonte de renda. Além disso, o planejamento não é estático, pois ele deve se adequar às mudanças na condição financeira familiar.

Qual a importância do planejamento financeiro familiar na compra do primeiro imóvel?

De modo geral, a forma mais eficiente para atingir um objetivo é fazer um planejamento com as ações necessárias que deverão ser realizadas. O mesmo acontece quando se deseja comprar um imóvel, pois, mesmo que o plano seja por contratar um financiamento imobiliário, é preciso criar condições para viabilizar esse investimento.

Dessa forma, o primeiro passo para adquirir uma residência é realizar um planejamento financeiro familiar. Por meio dele, se consegue ter uma melhor noção de suas condições financeiras, de modo a identificar o que será preciso fazer para que se consiga diminuir custos e, consequentemente, economizar dinheiro.

Mesmo que em um primeiro momento a compra da casa própria possa parecer apenas um sonho distante, por meio do planejamento financeiro é possível definir metas e ações que deixarão esse objetivo mais próximo. É importante lembrar que, independentemente de seu faturamento mensal, uma pessoa consegue atingir qualquer objetivo desde que seja disciplinada e aplique as boas práticas de finanças.

Como fazer um planejamento financeiro familiar?

Como é possível perceber, é imprescindível desenvolver um planejamento financeiro familiar para conseguir adquirir a tão sonhada casa própria. Entretanto, devido à baixa disseminação dos conhecimentos de educação financeira, muitas pessoas ainda não sabem como elaborar e aplicar essa estratégia.

Esse problema é tanto que, devido ao imediatismo existente em nossa cultura, de acordo com pesquisa elaborada pelo DataFolha, ficou comprovado que 65% da população brasileira não tem o costume de poupar dinheiro. Por isso, reunimos 7 dicas simples que ajudarão você a fazer o seu planejamento financeiro.

Saiba onde deseja chegar

Antes de começar a elaborar o seu planejamento financeiro, é essencial definir qual é o principal objetivo de sua família. Afinal, é preciso estabelecer prioridades, apesar de não existir limites para os sonhos, o seu tempo e dinheiro não são ilimitados. Portanto, é preciso definir as características do imóvel que se pretende adquirir e quanto será necessário investir nessa compra.

Além disso, é necessário determinar quando se pretende adquirir esse imóvel. Assim, fica mais fácil de elaborar um plano de ação eficiente e realista que permitirá que você alcance esse objetivo.

Conheça os gastos extras relacionados à compra de um imóvel

Ao contrário do que muitas pessoas imaginam, não basta apenas ter o dinheiro necessário para pagar a entrada do financiamento imobiliário ou que permita fazer a compra à vista. Para conseguir que a propriedade do bem adquirido seja transferida para o nome do novo dono, será preciso que ele quite algumas taxas cartoriais, tributos e, caso a residência usada, os custos com reforma e manutenção.

Apesar da maioria desses gastos serem variáveis — eles são influenciados pelo preço e localização do imóvel —, o comprador deve estar ciente de que terá um custo extra de, em média, 8% no valor do investimento. Por isso, é fundamental colocar no papel todos as despesas envolvidas nessa aquisição.

Planeje suas despesas com o objetivo de gastar menos que recebe

Apesar de parecer óbvio, muitas pessoas não conseguem entender que, para conseguir economizar dinheiro, é preciso que as despesas de sua família seja menor que o faturamento. Portanto, é muito importante ter os custos mensais sobre controle, pois, somente assim, será possível sobrar dinheiro.

Caso a família não saiba para onde vai cada centavo de sua renda mensal, uma boa dica é anotar todos os gastos. Apesar disto ser um pouco trabalhoso, essa informação permite identificar excessos e gastos supérfluos que poderão ser diminuídos ou cortados. Com isso, fica mais fácil se policiar e encontrar formas de poupar dinheiro.

Mantenha seu controle financeiro atualizado

Para que o planejamento financeiro seja eficiente, é necessário que haja um controle sobre os gastos. Para isso, é recomendado ter um documento, como uma planilha do Excel, que permita cadastrar todas as despesas, sendo que o ideal é manter esse arquivo sempre atualizado. Caso você não saiba como usar o programa, existe na internet uma grande variedade de planilhas gratuitas sobre organização financeira .

Outra forma de manter o controle em dia é utilizar a tecnologia em seu benefício. Atualmente, é possível encontrar diversos aplicativos e ferramentas, que podem ser instalados em um smartphone, que permitem o usuário cadastrar suas despesas ao longo do mês. Entre as várias opções, o Money e o Finance são as que mais se destacam.

Estabeleça metas de economia para o ano

A forma mais eficiente de conseguir realizar um grande objetivo é dividi-lo em metas menores, as quais serão executadas mais facilmente. Você sabia que um dos maiores entraves que dificultam a contratação de um financiamento imobiliário é o valor de entrada? Afinal, para poder liberar o crédito, os bancos exigem o pagamento imediato de 30% do custo do imóvel.

Dessa forma, caso fique decidido que será preciso ter R$ 50 mil, é muito mais fácil poupar anualmente R$ 10 mil por 5 anos do que tentar acumular esse valor em um único ano. Entretanto, lembre-se: é preciso que essas metas sejam realistas, caso contrário, isso provoca frustrações e, consequentemente, abandono do planejamento financeiro.

Procure entender mais sobre investimentos

Não adianta saber como economizar se, para fazer com que recurso guardado possa render juros, o invista na poupança ou o deixe parado na conta-corrente. Para conseguir atingir um objetivo financeiro mais rápido, é fundamental fazer com que o seu dinheiro trabalhe a seu favor.

Por isso, uma boa dica é aprender como funciona o mercado financeiro para poder entender como fazer um bom investimento. Atualmente, é possível encontrar no mercado diversas opções de aplicações que apresentam baixo risco e proporcionam bons ganhos. Não é preciso fazer uma faculdade de economia para realizar boas escolhas, basta apenas conhecer apenas o básico para evitar erros.

5 passos importantes para comprar seu primeiro imóvel

No entanto, além de ter um bom planejamento financeiro familiar, é preciso tomar alguns cuidados ao adquirir o seu primeiro imóvel. Devido aos altos valores necessários para fazer esse investimento, caso se cometa algum erro em sua escolha, é possível que você tenha que conviver com problemas durante um longo tempo, já que não é tão fácil realizar a troca de uma residência.

Portanto, antes de assinar o contrato de compra e venda, considere as seguintes dicas:

1. Defina suas prioridades

Todos desejam o melhor para a sua família, não é mesmo? Entretanto, é preciso ser realista ao procurar um imóvel para ser adquirido. Por isso, o primeiro passo é definir qual será o valor máximo que poderá ser investido nessa compra. Assim, se consegue filtrar na pesquisa apenas as residências que caberão no orçamento.

Em seguida, será necessário definir a estrutura que a residência deverá ter para proporcionar conforto à sua família. Não se esqueça de considerar o seu planejamento familiar, pois, caso você pretende ter um novo filho em breve, talvez seja uma boa ideia optar por um imóvel maior.

2. Avalie as diversas opções existentes

Com uma pesquisa rápida pela Internet, é possível perceber que existe no mercado uma grande variedade de imóveis à venda. Por isso, é tão importante definir prioridades para conseguir economizar tempo durante a sua busca. Assim, ao encontrar algumas unidades que satisfaçam os critérios estabelecidos, o próximo passo será fazer uma avaliação minuciosa em cada uma dessas residências.

Avalie a qualidade do acabamento instalado, a estrutura da área comum, a distribuição dos cômodos e a posição do Sol. Caso se considere a compra de um imóvel usado, avalie a estrutura da edificação e pondere a possibilidade de ter que realizar algumas reformas. Em muitos casos, para se ter mais segurança, a melhor opção é adquirir uma residência nova ou que ainda está na planta.

3. Considere a região

Tão importante quanto comprar um bom imóvel, é fundamental considerar o bairro em que ele foi construído. Caso a residência esteja em uma região ruim, é comum ocorrer desvalorização com o passar dos anos. Além disso, é preciso descobrir como esse local influenciará em sua rotina, pois, caso ele esteja distante de seu trabalho ou dos serviços básicos, será comum perder tempo com deslocamentos.

Também será preciso descobrir como será a sua vida após a mudança. Para isso, visite o imóvel em dias e horários distintos, isso garantirá a percepção sobre se a região é barulhenta durante a noite ou se a vizinhança é perigosa. Os vizinhos são outro fator que deve ser considerado, pois você será obrigado a conviver com eles durante um longo período.

4. Pesquise por melhores condições de pagamento

Para conseguir fazer o melhor negócio possível ao adquirir o primeiro imóvel, é preciso deixar a preguiça de lado e buscar no mercado por boas condições de pagamento. Para isso, além de considerar o já tradicional financiamento imobiliário da Caixa Econômica Federal, vá até outras instituições financeiras e escute o que elas têm a oferecer.

Além disso, também é possível encontrar ótimas oportunidades ao adquirir um imóvel na planta — ou seja, que ainda está em construção — ou contratar um financiamento da própria construtora. Também existe no mercado variedades de crédito imobiliário pouco comuns, como o consórcio que, por se basear em um autofinanciamento, não cobra juros para oferecer ao comprador o recurso que viabilizará a realização de seu investimento.

5. Fique atento com os processos burocráticos

Por final, para que não ocorra grandes problemas, principalmente quando se considera a aquisição de um imóvel usado, é preciso averiguar a documentação do bem que se pretende adquirir. Afinal, por se tratar de um processo que envolve várias etapas burocráticas, é preciso descobrir se a residência não apresenta nenhuma pendência judicial ou se o vendedor é o dono da unidade. Apesar dessa etapa ser chata e cansativa, ela é fundamental para evitar fraudes.

Além disso, também será necessário apresentar a sua documentação pessoal para conseguir fazer a transferência de propriedade e a contratação do financiamento. Caso exista um cônjuge, essa pessoa também precisará fornecer os mesmos documentos.

Como é possível perceber, é crucial a realização de um planejamento financeiro familiar para quem deseja adquirir um imóvel. Já que, sem ele, será difícil que esse comprador consiga acumular, com eficiência, os recursos que viabilizam esse investimento.

Caso você tenha gostado dessas dicas e deseje receber outros artigos como este em sua caixa de e-mail, não deixe de assinar nossa newsletter. Até a próxima!

Gostou do texto?
Faça seu cadastro e receba todas as novidades do blog no seu email!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *