O que é preciso saber sobre o pagamento da entrada de um imóvel?

O que é preciso saber sobre o pagamento da entrada de um imóvel?

Se você tem buscado formas de realizar o sonho da casa própria mas ainda não sabe como funciona o pagamento da entrada de um imóvel, então conheça as diferentes formas de se fazer isso. Além do programa Minha Casa, Minha Vida, um dos mais populares e acessíveis no Brasil, existem ainda outras opções privadas que podem lhe ajudar nisso.

Neste post explicaremos um pouco mais sobre as possibilidades disponíveis no mercado imobiliário para que você possa tomar a melhor decisão e realizar o seu sonho.

Confira a seguir as informações que separamos para você!

1. Como funciona atualmente o programa Minha Casa, Minha Vida?

Tradicionalmente, o programa do governo federal Minha Casa, Minha Vida, que financia a compra da casa própria para população de baixa renda por meio da Caixa Econômica, acontece com subsídios que abatem o valor total do imóvel.

Falando em uma linguagem simples, com um crédito de R$ 20 mil da Caixa para um imóvel que custa R$150 mil você pagaria R$ 130 mil ao final do financiamento. Isso significa que você teria que dar uma entrada de R$ 15 mil (10% do valor do imóvel) e financiaria o restante até quitar os R$ 130 mil.

Recentemente novas regras foram impostas por meio da ementa 32, que privilegia a aquisição de imóveis novos em detrimento do crédito que era usado para a compra de imóveis usados.

Nessa ementa, adquirir um novo imóvel se tornou um pouco mais caro, considerando que o comprador teria que desembolsar metade do valor imóvel para dar entrada no imóvel.

2. Quais são as outras opções existentes no mercado hoje?

Com as diversas construtoras e incorporadoras privadas existentes no mercado hoje, surgiram diversas formas de negociação — que vão além daquelas oferecidas pelo programa Minha Casa, Minha Vida.

Geralmente o mercado privado funciona da seguinte forma:

  • a entrada para os imóveis costuma ser de 30% do valor total;
  • algumas construtoras e incorporadoras oferecem a opção de financiamento sem entrada, que é bastante vantajosa para quem não pode pagar pelo valor estipulado como garantia;
  • quanto maior o período de financiamento, maiores são os juros cobrados sobre o valor total do imóvel.

Sobre o último ponto citado, vale lembrar que essa regra também vale para os programas públicos habitacionais como o Minha Casa, Minha Vida. Portanto, pesquise bem antes de se decidir!

3. Como utilizar meu FGTS para a compra de um imóvel?

Ainda que você possa usar o saldo do FGTS para pagar as prestações do seu imóvel, é essencial entender que ele só será liberado para esse tipo de negociação após a entrada ser paga.

Muita gente se confunde e imagina que seja possível usar o fundo de garantia como forma de pagamento da entrada de sua futura casa própria.

Ainda assim, conforme apresentamos ao longo deste post, existem outras opções que você pode explorar para realizar seu sonho. Você deve considerá-las a fim de encontrar aquela que melhor caiba no seu bolso.

Se você está próximo de dar esse passo importante na sua vida e gostou de saber como funciona o pagamento da entrada de um imóvel, entre em contato conosco! Temos uma proposta que fará dos seus sonhos, realidade!

Gostou do texto?
Faça seu cadastro e receba todas as novidades do blog no seu email!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *