Minha Casa Minha Vida: 6 vantagens de comprar um imóvel na planta

Minha Casa Minha Vida: 6 vantagens de comprar um imóvel na planta

Se você pretende investir na compra de uma propriedade, provavelmente já teve a dúvida: comprar um imóvel na planta, pronto ou usado, pelo Minha Casa Minha Vida ou não? De fato, as necessidades de cada pessoa é que determinam qual é a melhor opção, pois essa questão depende de diferentes fatores. Sendo assim, conhecer um pouco mais as vantagens de cada alternativa ajuda na hora de tomar a decisão.

Para ajudar você, trazemos 6 vantagens do imóvel na planta e os pontos centrais do Minha Casa Minha Vida que estão relacionados a esse tipo de aquisição. Vamos também indicar alternativas ao Programa e quais cuidados tomar para fechar negócio livre de problemas. Boa leitura.

Vantagens de comprar apartamento na planta

Com benefícios que vão da tranquilidade de comprar uma propriedade nunca antes ocupada até a chance de utilização do Minha Casa Minha Vida, os imóveis na planta têm diversos atrativos. Saiba mais logo abaixo.

1. Menos preocupações

Quando você adquire um imóvel já pronto deve verificar uma série de coisas, como a instalação elétrica e hidráulica, vazamentos, rachaduras nas paredes, estrutura da propriedade, documentação (verificar se tudo realmente está em dia) e várias outras questões.

Já quando o imóvel é novo não há esse problema, é necessário apenas questionar a construtora sobre quais serão os materiais utilizados na obra e ter a certeza de que tudo estará novinho em folha.

2. Valorização até a data da entrega

Diversas vezes, o imóvel começa estipulado em um valor, mas, conforme o bairro vai crescendo ou o setor imobiliário se aquece, ele fica cada vez mais valorizado. Essa é uma excelente vantagem, principalmente quando a compra será feita como investimento.

Entretanto, para que você assegure que essa valorização aconteça, verifique quais são as melhorias de infraestrutura que o bairro está recebendo, como estações de metrô, escolas, shoppings, mercados, entre outros empreendimentos.

3. É possível personalizar

Em um local pronto, quando o proprietário decide fazer uma mudança, ele precisa arcar com os custos da reforma, já no caso do imóvel na planta, é possível solicitar alguns ajustes, contanto que eles consigam ser encaixados no projeto.

Algumas construtoras permitem que sejam escolhidos o piso, a instalação de bancadas e, até mesmo, a realização de alterações na planta.

4. Valores mais acessíveis e facilidades no pagamento

Como o imóvel ainda está sendo construído, os valores tendem a ser menores, principalmente em épocas de crise, em que eles baixam para que as pessoas consigam comprar e o setor continue aquecido.

Além disso, pela possibilidade de negociar diretamente com a construtora, o comprador pode conseguir um bom desconto, além de facilidades para realizar o pagamento.

5. Tempo para planejar a mudança com calma

Mudar-se é algo que requer bastante planejamento, ainda mais quando a pessoa sai da casa dos pais, da sogra ou do aluguel. Isso porque é necessário verificar o trajeto para o trabalho, saber onde será a escola das crianças e realizar a transferência.

Além de descobrir onde ficam os principais locais frequentados, incluindo mercearia, farmácia, hospitais, bancos, entre outros de frequência cotidiana.

6. Possibilidade de usar o programa Minha Casa Minha Vida

O programa Minha Casa Minha Vida possibilita o financiamento do valor do imóvel com taxas de juros bem abaixo do mercado e também pode ser usado para comprar uma propriedade na planta.

Para utilizá-lo, basta que tanto o comprador como o empreendimento atendam a alguns requisitos. Atendidas essas exigências, e comprovado o direito a participar do Programa, é só fechar negócio e esperar a entrega do futuro lar, para poder desfrutar toda a evolução que acompanha ter um apartamento próprio.

Para aproveitar as vantagens do Minha Casa Minha Vida na compra do seu apartamento na planta, é fundamental conhecer as especificidades existentes em torno desse tipo de aquisição. Também tomar determinadas precauções, a fim de conquistar o imóvel próprio e vivenciar plenamente essa importante conquista.

Vamos, então, ajudar você a conhecer os requisitos indispensáveis para compra de imóvel na planta pelo Programa. Prossiga a leitura e descubra tudo sobre o assunto.

Minha Casa Minha Vida para compra de imóveis na planta

Entender como funciona o Minha Casa Minha Vida (MCMV) na aquisição de imóvel na planta, vai permitir perceber se participar do Programa é viável ou não a você. Para tanto, é imprescindível conhecer as exigências desse financiamento.

Assim você confere se o seu perfil, e o da moradia pretendida, tem a ver com o MCMV. Veja a seguir.

Valores máximos

Para financiar na planta pelo Minha Casa Minha Vida, o imóvel deve estar dentro do limite máximo estabelecido pelo Programa. Esse valor, ou como é mais conhecido, “teto máximo”, varia de acordo com a região onde está o apartamento.

Nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal, é possível financiar imóveis de até R$ 240 mil, pelo Minha Casa Minha Vida. Nas capitais da região sul, Minas Gerais e Espírito Santo, o imóvel a ser financiado pelo Programa deve custar até R$215 mil.

No Centro-Oeste, Norte e Nordeste, quem pensa em adquirir um lar pelo Minha Casa Minha Vida pode escolher residências de, no máximo, R$190 mil.

Uma das condições às quais você deve prestar muita atenção é que o apartamento comprado na planta, quando pronto, será avaliado para aprovação do financiamento. Nessa etapa da compra pelo Minha Casa Minha Vida, a construção não pode custar mais do que o valor máximo estabelecido para a região onde está localizada.

Caso contrário, deixa de se enquadrar no Minha Casa Minha Vida, portanto, seu financiamento junto ao banco passa a ter condições diferentes das previstas no Programa.

Atentar-se a isso é essencial, pois imóveis em construção estão sujeitos à variação de preço, podendo apresentar valorização entre o momento da implantação do empreendimento e a ocasião da entrega das unidades.

Por isso, é fundamental se certificar de que o valor do apartamento não vai ultrapassar o limite do Programa, na época da entrega das chaves. Veja que se isso ocorrer, o financiamento não será contemplado pelos benefícios do Minha Casa Minha Vida.

Exigências

Para financiar um apartamento na planta pelo Minha Casa Minha Vida, é preciso que a construção esteja em região urbana. Também deve ser feita em alvenaria, não ter ônus, irregularidades ou dívidas, e estar devidamente registrada no cartório de imóveis.

Na fase de entrega, deve passar por avaliação e ser aprovada pela Caixa Econômica Federal. O imóvel tem que ser comprado no intuito de moradia e não de aluguel ou outra finalidade, uma vez que isso pode lhe desclassificar do programa.

É exigido ser a primeira aquisição imobiliária do interessado, que deve morar ou trabalhar na mesma região metropolitana onde está o apartamento desejado.

Há, ainda, necessidade de pertencer a um dos níveis salariais atendidos pelo MCMV. Eles são divididos em 4 faixas de renda, abrangendo ganhos que vão de R$ 1,8 mil até R$ 9 mil. Confira abaixo em qual faixa sua renda — pessoal ou familiar — está enquadrada:

  • faixa 1: famílias que ganham até R$ 1.8 mil por mês;
  • faixa 1,5: famílias que ganham até R$ 2.6 mil por mês;
  • faixa 2: famílias que ganham de R$ 2.601 até R$ 4 mil por mês;
  • faixa 3: famílias que ganham de R$ 4.001 até R$ 9 mil por mês.

Satisfeitos esses requisitos, você vai conseguir financiar seu apartamento na planta em pouco tempo. Para isso, basta apresentar documentos dos participantes no financiamento, tanto os pessoais como os de rendimentos.

Depois disso, toda documentação dos compradores e do imóvel vai ser analisada, bem como a situação cadastral de quem vai assumir as parcelas. Estando tudo em ordem, leva poucos dias para aprovar a transação. Daí você já pode começar a se sentir dono do futuro lar, e vivenciar toda alegria de ter seu bem próprio.

Formas de financiamento do PMCMV

O Minha Casa Minha Vida é operado pela Caixa Econômica Federal e pelo Banco do Brasil. Esses dois bancos públicos são responsáveis por oferecer financiamentos imobiliários pelo Programa, e têm diferenciais entre si. Veja quais são.

Financiamento pelo Banco do Brasil

Nesse banco, o financiamento pelo Minha Casa Minha Vida permite parcelar a compra do imóvel em até 30 anos. Outras vantagens para quem financia no Banco do Brasil são a carência para fazer o primeiro pagamento do crédito imobiliário e a bonificação de 1 parcela a cada ano — período no qual não é preciso se preocupar em pagar a prestação.

Financiamento pela Caixa Econômica Federal

Tradicional na oferta de financiamentos imobiliários, a Caixa tem vasto histórico relacionado ao Minha Casa Minha Vida. Financiar seu imóvel na planta pelo Programa nesse banco abre a possibilidade de quitação em até 35 anos, o que pode facilitar sua aquisição.

Vale destacar que, em relação aos prazos dos financiamentos, a idade do solicitante é determinante para estipular o tempo até a quitação do imóvel. Assim, os prazos máximos só são concedidos nos casos em que a idade do comprador, somada ao prazo de pagamento, não ultrapassa 80 anos e 6 meses.

Outras opções de financiamento para imóvel na planta

Quem não pertence às faixas de renda abrangidas pelo Minha Casa Minha Vida, ou por algum outro motivo não se enquadra no Programa, tem alternativas para comprar o apartamento próprio. São as linhas de crédito disponibilizadas especificamente para aquisição de imóveis.

Há quatro tipos de financiamentos imobiliários em vigor, atualmente: o que se dá diretamente com a construtora, por meio do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), da carteira hipotecária e pelo Sistema Financeiro Imobiliário (SFI).

As diferenças entre essas modalidades incluem o custo das taxa de juros e os tipos de recursos que permitem usar para pagar pelo imóvel — a exemplo da utilização do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

Outro ponto que varia entre os tipos de financiamento disponíveis no mercado é o índice utilizado para corrigir o saldo devedor. Quer saber mais sobre ao que se atentar, para encontrar o financiamento mais adequado ao seu perfil? Prossiga a leitura e conheça essas informações.

Pesquise para encontrar as melhores condições

Antes de financiar o imóvel na planta, vale a pena pesquisar bastante, para saber quanto cada instituição financeira cobra pelo crédito imobiliário. O ideal é identificar, entre as opções do mercado, aquela com as menores taxas de juros.

Desse modo, tanto as parcelas quanto o valor total que você vai pagar, ao financiar seu apartamento na planta, serão mais baixos. De forma geral, bancos públicos, especialmente a Caixa Econômica Federal, costumam oferecer as condições mais atrativas.

De toda maneira, não é indicado financiar sem antes comparar o que cada entidade financeira tem a ofertar. Na pesquisa e comparação, você pode economizar um bom dinheiro, portanto, procure não dispensar essa possibilidade.

Junte a documentação para solicitar o financiamento

A documentação necessária para adquirir um financiamento imobiliário é, essencialmente, composta de documentos pessoais e do imóvel. Contudo, como os papéis precisam ser atuais e sem rasuras, vale dar uma checada antes para ter certeza de estar tudo em ordem.

Separe seus documentos de identidade, bem como dos demais solicitantes do financiamento. Geralmente são solicitados RG, CPF e Declaração de Imposto de Renda (IR), por isso, deixe os originais à mão.

Certidão de nascimento e casamento (quando for o caso) fazem parte da relação de documentos que devem vir juntos do pedido de financiamento. Comprovantes de renda e endereço, bem como a Certidão Negativa de Débitos (CND) integram a documentação necessária a financiar um imóvel na planta.

Na maioria dos casos, esses são os documentos necessários a dar entrada no pedido de crédito imobiliário. Com tudo aprovado, você recebe uma carta de crédito e financia seu imóvel na planta.

Entenda como é o parcelamento do financiamento

O fluxo de pagamentos de um imóvel na planta tem dois momentos, o de antes e o de após a entrega das chaves. No primeiro deles, que dura por volta de 36 meses, são pagas as parcelas mensais referentes à fase de realização das obras.

Nesse período, a correção das prestações é feita com base no Índice Nacional da Construção Civil (INCC) e pelo Custo Unitário Básico (CUB). Ambos os indicadores são usados para atualizar as mensalidades de imóveis na planta, sendo calculados a partir dos custos de materiais e mão de obra empregadas na construção, entre outros fatores.

No momento seguinte, quando as obras estiverem concluídas, é a hora de encontrar o banco ou entidade financeira para conseguir o financiamento do imóvel. Esse crédito imobiliário, concedido a você, vai gerar parcelas mensais.

Tais prestações podem se estender por muitos anos, e seu valor é corrigido pelo Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M).

De acordo com o valor já pago como entrada, preço total do financiamento e perfil do comprador, a instituição financiadora monta um plano de pagamento. Assim, é preciso ficar atento quanto ao o sistema utilizado no mercado imobiliário — se pela tabela SAC ou price —, prazo de quitação, taxas de referência, seguros e custos adicionais.

Cuidados a tomar durante o financiamento de um imóvel na planta

Adquirir um financiamento de imóvel na planta é um procedimento que pede planejamento e paciência. Isso, por envolver um bem valioso, que requer programação para a compra resultar em sucesso.

Isso a fim de garantir uma contratação livre de problemas, e poder entrar no novo lar com toda satisfação e alegria. Verifique, abaixo, que pontos merecem sua atenção, ao financiar apartamento na planta.

Verifique o histórico da construtora

Buscar informações da construtora, para verificar a sua credibilidade, é fundamental na compra de imóvel na planta. Cheque o tempo de atuação da empresa no mercado, e o nível da qualidade dos seus empreendimentos.

A quantidade de apartamentos que já entregou é mais um dado a ser levantado, pois indica seu grau de experiência. Procure conhecer ainda os condomínios entregues pela marca, bem como as comodidades e inovações agregadas aos empreendimentos.

Não se esqueça de entrar em contato com a organização com a qual pensa em fechar negócio. Isso para perceber os canais de atendimento que ela disponibiliza aos clientes, e se as informações são prestadas com agilidade e transparência.

Se possível, marque uma visita ao escritório da empresa, e veja de perto como você é recepcionado. Se com atenção, e tendo o zelo de direcionar você ao imóvel mais alinhado com as suas expectativas, são grandes as chances de tratar com uma construtora comprometida com o consumidor.

Visualize os detalhes da maquete

A maquete física chama a atenção de quem visita um estande de venda de apartamentos na planta. Ela mostra detalhes do projeto da edificação, portanto, dá uma boa ideia de como será o empreendimento, depois de pronto.

Com esse elemento, fica mais fácil escolher a posição do seu apartamento, e compreender como o sol vai iluminar a unidade, por exemplo. A maquete permite visualizar outros pontos relevantes do condomínio, como onde vai ser a garagem, a estrutura da área de lazer e por aí vai uma imensa riqueza de detalhes.

Conheça a região do imóvel

Visitar a região na qual vai ser erguido o apartamento que você pretende comprar ajuda a fazer uma compra acertada. Mesmo que você já conheça o bairro pela boa fama, vá lá em diferentes horários e busque enxergá-lo com olhos de futuro morador.

Esses passeios vão revelar o ritmo da localidade, além da infraestrutura que ela oferta aos moradores. Você poderá conferir o trânsito, as escolas, se há comércios e os serviços existentes nas imediações do empreendimento.

Com isso, saberá se o lugar atende às suas necessidades cotidianas, e às da sua família. Certificando-se de que todos ficarão confortáveis no novo lar, já dá para começar a comemorar a aquisição.

Como você pôde ver até aqui, há diversas vantagens em comprar um apartamento na planta pelo Minha Casa Minha Vida. Percebeu ainda pontos fundamentais do Programa, além de conhecer as alternativas para aquisição do imóvel. Viu ainda os cuidados essenciais para realizar a compra e não ter nenhum problema.

Agora, é só entrar em contato conosco, pois nós, da Construtora CRD, vamos apresentar a você os melhores residenciais da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Seu futuro apartamento está aqui, com a condição de compra imperdível, que se encaixa perfeitamente no seu orçamento.

Gostou do texto?
Faça seu cadastro e receba todas as novidades do blog no seu email!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *