Financiamentos pela Tabela Price ou pelo SAC: entenda como funcionam

Financiamentos pela Tabela Price ou pelo SAC: entenda como funcionam

Ao dar entrada em um financiamento, é preciso considerar uma série de fatores para evitar surpresas e dissabores ao longo do tempo, especialmente quando se trata de imóveis que costumam ter um prazo maior para a quitação do saldo devedor.

Você provavelmente já ouviu falar em tabela Price e SAC, não é? Apesar de serem duas figuras carimbadas no âmbito da concessão de crédito, elas nem sempre estão claras aos olhos do consumidor.

Para ajudar na hora de fazer a escolha e esclarecer as dúvidas sobre o assunto, faremos um contraponto sobre essas duas principais opções quando se trata de financiamentos e compras a prazo.

Continue a leitura e confira algumas informações que podem colaborar na hora de decidir entre um modelo de financiamento!

Tabela Price

Também conhecida como sistema francês de amortização, a tabela Price foi criada pelo francês Richard Price e é um dos métodos mais utilizados no sistema financeiro hoje, especialmente no Brasil.

Na prática, essa modalidade de financiamento utiliza a metodologia de amortização progressiva, que no início diminui um valor menor do capital emprestado e maior com o passar do tempo. Dessa forma, a primeira parcela paga mais juros do que capital, processo que se inverte conforme se aproxima o fim do contrato.

Para muitos, porém, essa modalidade pode ser taxada de anatocismo (prática abusiva ao utilizar juros compostos). Como a amortização do capital é menor no início, há uma cobrança de juros maior no final.

No entanto, em uma análise coerente e correta do cálculo, percebe-se que o total do juro é sempre pago a cada parcela e sempre sobre o saldo devedor. O que ocorre, portanto, é uma diminuição menor do saldo, fator que, consequentemente, incorre em mais juros.

O valor das parcelas é fixo e, por isso, não pode haver correção monetária durante o período. Afinal, o cálculo é efetuado no ato da assinatura do financiamento, exceção feita à TR (taxa referencial) caso isso seja acordado em contrato.

Tabela SAC

Diferentemente da tabela Price, o sistema de amortização constante (SAC) fixará um montante do valor principal do financiamento para ser amortizado ao longo do período. Isso quer dizer que esse valor será sempre o mesmo e, por isso, o valor dos juros (e não o percentual) diminui mês a mês, o que possibilita o decréscimo das parcelas.

Na prática, o sistema SAC, desconta mensalmente um valor fixo do capital tomado em empréstimo. Vamos a um exemplo?

Um determinado banco concedeu ao cliente um empréstimo de R$ 10.000, com uma taxa de juros de 1,5% ao mês, e o saldo deverá ser quitado em 10 parcelas. O saldo principal (no caso, os R$ 10.000) é dividido pelo número de prestações (ou seja, 10). Logo, o valor amortizado do capital será de R$ 1.000.

No primeiro mês, o juro incide sobre o valor total do empréstimo. Assim, o juro devido será de R$ 150,00 que, somado ao valor da amortização, resultará no valor da primeira parcela — ou seja, R$ 1.150,00.

Perceba, no entanto, que no segundo mês o capital devido ou o valor principal é de R$ 9.000 reais, pois considera a amortização do primeiro mês. Dessa forma, o juro, ao invés de R$ 150,00, passa a ser R$ 135,00, e é isso que faz com que a parcela diminua de valor.

Esse processo continua sucessivamente até que se cumpram todas as parcelas do financiamento.

Principais diferenças entre Tabela Price e Sistema SAC

A seguir, mostraremos algumas diferenças importantes na hora de decidir qual das modalidades de financiamento é mais viável. Lembre-se de que nem sempre você terá escolha, mas entender o funcionamento poderá ajudar na hora de negociar as taxas de juros e outras incidências sobre o valor!

Valor da parcela

O valor da parcela é a primeira diferença. Enquanto na Tabela Price a parcela é fixa, no sistema SAC ela é variável.

Se considerarmos ainda a mesma taxa de juros e período de financiamento, a primeira parcela no sistema SAC será entre 20 e 25% maior do que no sistema Price. No entanto, ao final do contrato, o valor total pago será ao menos 10% menor na amortização constante (SAC).

Amortização do capital

A diferença mais importante e que fundamenta a peculiaridade de cada modalidade está na amortização do capital principal. Enquanto o sistema SAC utiliza a amortização constante e fixa, a Tabela Price utiliza um sistema crescente de amortização. No entanto, a amortização é menor no primeiro mês.

Saldo devedor

No sistema SAC, o saldo devedor cai constantemente mês a mês, enquanto na tabela Price cai pouco no início e mais no final. Sendo assim, na amortização constante a progressão da redução do saldo devedor é sentida desde a primeira parcela, pois já haverá uma diminuição no total de juros.

Tempo de financiamento

No exemplo que utilizamos acima, no empréstimo de R$ 10.000, a diferença no valor pago seria de apenas R$ 18,41 no final do período.

Isso quer dizer que, para um financiamento de curto prazo, talvez não seja uma diferença tão grande no total de juros. Em um financiamento de longo prazo e com parcelas menores, porém, o montante de juros é substancialmente maior na Tabela Price.

Nos dois casos, os juros (não o percentual e sim o montante) são decrescentes.

Tabela Price ou SAC: a melhor modalidade de financiamento

Tudo depende do objetivo e da organização financeira de cada um. Se você possui renda suficiente no início da vigência do contrato para arcar com uma parcela maior, é mais lógico optar pelo Sistema de Amortização Constante (SAC). Além de pagar menos juros, com o passar do tempo as parcelas a pagar também serão menores.

Mas se você acredita que uma parcela menor poderá ajudar no início, é viável optar pelo sistema de amortização francesa (PRICE), pois a parcela é menor desde o começo. No entanto, o valor continua o mesmo até o final da vigência do contrato.

A Price costuma ser melhor em financiamentos com prazos menores, enquanto o sistema SAC é mais indicado para financiamento mais longos — como o imobiliário, por exemplo.

Em última análise, a diferença entre as duas se dá no valor do tempo e do dinheiro. No sistema SAC, o fato de pagar uma parcela maior no início faz com que diminua o total de juros. O contrário acontece na tabela Price, que tem uma parcela menor no começo da vigência.

Isso quer dizer que os juros na tabela Price são calculados num montante maior — embora no mesmo prazo — do que no sistema SAC, mas sempre sobre o valor da dívida, e nunca dos juros.

Assim, a escolha entre Tabela Price e SAC sempre parte do princípio da sua capacidade de pagamento no dia da assinatura do contrato. Se puder pagar uma parcela maior, vai pagar menos juros no final. Do contrário, pagará mais juros, mas terá maior tranquilidade no início.

E aí, entendeu a diferença entre essas duas modalidades? Restou alguma dúvida sobre o assunto? Conte pra gente aqui nos comentários e descubra como podemos ajudá-lo!

Gostou do texto?
Faça seu cadastro e receba todas as novidades do blog no seu email!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *