Em quais casos consigo pedir um refinanciamento do imóvel?

Em quais casos consigo pedir um refinanciamento do imóvel?

Sob os efeitos da recessão financeira, muitas vezes, as pessoas precisam de dinheiro, mas se encontram com suas margens de crédito esgotadas. Porém, você sabia que existe uma alternativa barata e relativamente conhecida por poucos? Estamos falando do refinanciamento do imóvel, uma linha de crédito com uma das menores taxas de juros do mercado.

Pensando nisso, preparamos este artigo para apresentar a você as principais características da modalidade e em quais casos é possível contratá-la. Ficou curioso? Então, continue a leitura e saiba mais detalhes!

O que é o refinanciamento do imóvel?

O refinanciamento do imóvel, popularmente conhecido como hipoteca, é um tipo de empréstimo no qual o contratante coloca sua própria casa como garantia. Por ser uma operação financeira de baixo risco para o banco, sua taxa de juros está entre as menores do mercado.

O valor contratado não tem uma finalidade específica, como em um financiamento convencional. Por isso, é possível pedir um refinanciamento para liquidar suas dívidas ou, até mesmo, para adquirir um veículo ou outro imóvel. Outro caso permitido é a venda do imóvel financiado com troco.

Venda do imóvel financiado

A venda de um imóvel financiado, cujo saldo devedor ainda não foi totalmente quitado, é outra forma de refinanciamento. O banco procede a análise de crédito do comprador nos mesmos moldes de um financiamento convencional. Concretizada a transferência da titularidade, o banco repassa ao vendedor a diferença entre o saldo da operação original e o valor financiado.

Que tipo de imóvel é possível refinanciar?

Conforme as regras vigentes, o imóvel deve ser residencial ou comercial (em alguns casos) em perímetro urbano. Ou seja, no refinanciamento de imóvel, não é possível utilizar um imóvel rural.

Alguns bancos permitem a utilização de um imóvel financiado. Nesse caso, o saldo devedor será quitado e acrescido ao valor solicitado. O total não pode exceder o limite de crédito aprovado. Vale lembrar que não é permitido usar o FGTS no refinanciamento.

Como a modalidade de crédito é voltada às pessoas físicas, um requisito básico é que o cliente tenha um imóvel no seu nome. Apesar disso, alguns bancos permitem a composição de renda com até três pessoas.

Qual a documentação necessária?

Para dar entrada na solicitação do refinanciamento do imóvel, é preciso apresentar os documentos pessoais, exatamente como em um financiamento imobiliário. A apresentação do CPF pode ser dispensada se o número for informado no documento de identidade.

O interessado deve ter em mãos um documento de identificação com foto (RG, CNH ou CTPS, por exemplo), comprovante de residência e comprovante de renda. Ainda que a garantia da linha de crédito seja o imóvel, os bancos solicitam a comprovação dos rendimentos e realizam uma nova análise. A medida ajuda a prevenir o risco de que a pessoa perca a sua propriedade.

Também é necessário comprovar o estado civil, o que é feito com a certidão de nascimento ou de casamento, conforme cada caso. Os divorciados ou separados devem apresentar a certidão de casamento devidamente averbada. Em relação ao imóvel, na primeira etapa, deve ser providenciada a matrícula atualizada.

Caso você decida fazer o refinanciamento do imóvel, não deixe de avaliar atentamente sua situação financeira. Como sua própria casa será dada como garantia, é preciso cautela: tenha certeza de que essa é a melhor opção. Antes de procurar um banco, faça simulações para saber se os valores das prestações cabem no seu bolso.

Gostou deste artigo? Quer conferir de perto mais conteúdos como este? Então, curta nossa página no Facebook e não perca nossas novidades!

Gostou do texto?
Faça seu cadastro e receba todas as novidades do blog no seu email!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *