Conheça as mudanças no financiamento pela Caixa para 2017

Conheça as mudanças no financiamento pela Caixa para 2017

O mercado imobiliário trouxe novidades que vão ajudar quem quer comprar um apartamento novo, e quem busca um imóvel deve ficar atento às mudanças no financiamento pela Caixa Econômica Federal.

As alterações anunciadas pelo Governo Federal têm o objetivo de estimular o setor da construção civil, que foi bastante prejudicado pela crise e para falta de crédito para as famílias brasileiras.

Neste artigo, você vai entender como eram as regras para financiar a casa própria pela Caixa, como elas estão agora e de que forma isso vai facilitar a compra do imóvel.

Minha Casa Minha Vida

O Governo Federal não realizava mudanças no programa habitacional Minha Casa Minha Vida desde 2015. A iniciativa pretende dar acesso ao financiamento da moradia para mais pessoas.

Entre as novidades anunciadas para este ano estão o reajuste no limite da renda familiar em três faixas do programa e a ampliação do teto do valor do imóvel que pode participar.

Renda Familiar

O Minha Casa Minha Vida é dividido em 4 faixas — 1, 1,5, 2 e 3 — cada uma delas se destina a um grupo de famílias e tem características distintas. A primeira permanece com renda familiar limitada a R$ 1.800.

A 1,5 tinha limite de R$ 2.350 por mês, ele passa a ser de R$ 2.600. A 2 limitava os ganhos da família a R$ 3.600, agora com as mudanças no financiamento pela Caixa passou para R$ 4.000.

E a maior ampliação ocorreu na 3, que passou o limite dos ganhos de R$ 6.500 para R$ 9.000 por mês.

Teto do valor do imóvel

Outra mudança no Minha Casa Minha Vida é o valor máximo da propriedade que pode participar do programa. O limite para as capitais de São Paulo e do Rio de Janeiro, além do Distrito Federal passaram de R$ 225 mil para R$ 240 mil.

Para as capitais do Sul e as demais do Sudeste, o limite é de R$ 215 mil. Todas as outras capitais, o valor máximo dos imóveis é de R$ 190 mil.

Juros do financiamento

O programa Minha Casa Minha Vida também teve alterações nos juros cobrados dos beneficiários. No entanto, apesar do reajuste, a taxa cobrada no programa ainda é menor do que o cobrado no mercado.

Para as famílias com renda de até R$ 4 mil, os juros se mantiveram os mesmos. A faixa 1,5 tem taxa de 5% ao ano, e a 2 varia de 5,5% a 7% ao ano.

Já a faixa 3 passou a ter juros de 8,16% ao ano para as famílias com renda de até R$ 7 mil e subiu para 9,16% para os que ganham até R$ 9 mil. Segundo o governo, o mercado cobra juros entre 10% e 14% ao ano.

Agora que você já conhece as mudanças no financiamento pela Caixa para este ano, pode utilizar a estratégia de encaixar o imóvel que está buscando para a sua família nas novas regras e, assim, conseguir comprar a casa própria.

Este texto foi útil para você? Restou alguma dúvida sobre o assunto? Conte pra gente aqui nos comentários!

Gostou do texto?
Faça seu cadastro e receba todas as novidades do blog no seu email!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *