5 erros que você não pode cometer ao comprar imóvel na planta

8 erros que você não pode cometer ao comprar imóvel na planta

Há um momento na vida em que é necessário tomar uma importante decisão: adquirir a casa própria. Seja para sair do aluguel ou mesmo para encontrar um cantinho mais apropriado para a família, conseguir seu próprio espaço é sempre uma grande conquista.

É em busca dessa conquista que muitos optam por comprar imóvel na planta. Afinal, em alguns casos, a economia com esse tipo de investimento pode chegar até 30% do valor original.

Mas é justamente aí que mora o perigo: é preciso ficar de olhos bem abertos, pois são muitas as armadilhas nas quais os consumidores podem cair ao depositarem tanto dinheiro e expectativa em algo que simplesmente ainda não existe.

Portanto, neste conteúdo mostraremos os principais erros que você não pode cometer ao comprar imóvel na planta. Quer saber mais sobre o assunto para realizar suas negociações com segurança? Então continue a leitura do artigo!

1. Não pesquisar o histórico da construtora

Muitas pessoas, atraídas por negociações aparentemente imperdíveis, assinam contratos com empresas pouco (ou nada) confiáveis.

O arrependimento não demora muito para chegar: apartamentos que não são entregues, que ficam prontos com anos de atraso, imóveis que apresentam rachaduras, fissuras e outros problemas estruturais, diferenças entre a metragem apresentada na planta e o tamanho final da casa são apenas alguns dos problemas enfrentados por compradores que não tiveram esse cuidado na hora de fechar o negócio.

Para evitar que isso ocorra, é necessário realizar uma pesquisa cuidadosa, tanto com outros clientes da empresa quanto na justiça e no PROCON. Ir atrás de listas de reclamação, denúncias e de outros empreendimentos da construtora podem ajudá-lo a mapear todos os riscos envolvidos na negociação.

2. Não analisar a documentação

A compra de um imóvel na planta representa a geração de um patrimônio que pode proporcionar mais segurança e conforto para o seu futuro e o de sua família.

Contudo, é fundamental ter total certeza de que o imóvel negociado está devidamente legalizado, não representando qualquer problema em sua documentação.

É fundamental que todos os documentos sejam lidos e analisados com a máxima cautela. E a boa notícia é que essa tarefa pode ser facilmente resolvida com o auxílio de um profissional do ramo, já que toda a papelada encontra-se disponível em órgãos públicos e qualquer pessoa física ou jurídica pode verificá-la.

Quando for comprar imóvel na planta, isso se faz ainda mais necessário. É essencial que a documentação contenha toda a descrição do imóvel.

Somente com tudo devidamente assinado, a construtora terá de pedir a autorização do comprador para modificar qualquer coisa na obra e será obrigada a cumprir com os prazos combinados. Uma boa dica é estabelecer uma escritura pública junto a um advogado.

Lembre-se de que esses documentos servirão como prova a seu favor caso a metragem do apartamento — entregue após o término da construção — esteja diferente da que foi preestabelecida em contrato.

Ao fechar negócio com uma construtora de confiança, você não terá de se preocupar com esse tipo de problema, mas como diz o ditado: “é melhor prevenir do que remediar”, concorda?

3. Não avaliar as prestações, juros e outras taxas

Outro erro comum é o comprador, pela ansiedade em fechar o negócio, não avaliar, com o devido cuidado, os valores das prestações, os juros e outras taxas.

Afinal, o valor de um imóvel na planta não se resume somente às prestações do financiamento ou da entrada. Um grande equívoco cometido por muitos investidores é esquecer que além dos custos comuns da compra, existe uma série de outros gastos que integrarão o valor total que será pago no final da transação.

Sempre vale a pena lembrar que são muitas as taxas a serem pagas no processo de compra e venda: o valor da escritura e o seguro são só duas das mais importantes.

Além disso, os juros, quando calculados, podem chegar a um valor altíssimo. Em alguns contratos eles até são cobrados retroativamente! É isso mesmo: você pega as suas chaves e descobre, no momento seguinte, que deve uma montanha de dinheiro para o banco.

É importante mencionarmos também que existem despesas inerentes ao processo, como taxas de condomínio e o serviço de corretagem prestado na intermediação do processo.

Quando o imóvel está na planta os valores são maiores, pois incluem, além do ITBI, o Registro do Imóvel, a Escritura e a variação do INCC (Índice Nacional de Custo da Construção). Quando somados, esses valores podem comprometer a renda mais que o planejado e virar um problema.

Comprar um imóvel na planta é uma grande conquista. No entanto, esquecer dos gastos adicionais pode transformar esse passo de sua vida em uma verdadeira frustração.

4. Não estudar a maquete

Há quem acredite que a maquete é um mero objeto de decoração do estande da construtora. Infelizmente, esse é um grande equívoco que as pessoas cometem quando pretendem comprar imóvel na planta.

A maquete deve ser estudada minuciosamente, já que é uma ferramenta essencial para a tomada de decisão. Considere examinar toda a composição de cada item que a integra, sem hesitar na hora de perguntar sobre qualquer aspecto que você não esteja conseguindo identificar de que forma ele corresponderá à realidade do futuro empreendimento.

É importante mencionar, ainda, que uma maquete é desenvolvida como uma réplica perfeita sobre como será a prédio quando estiver pronto. Ou seja, embora esteja em escala menor, as suas coordenadas são extremamente precisas.

Por exemplo, os apartamentos da face norte sempre têm maior incidência solar, enquanto os apartamentos da face sul têm menor insolação. Além disso, é importante verificar qual é a vista de cada imóvel, pois isso pode influenciar tanto no preço do apartamento, e em sua devida valorização no futuro, quanto na qualidade de vida de sua família, caso a intenção seja morar no local.

5. Não visitar o terreno

Um grande erro que muitas pessoas cometem é não realizar uma boa visita ao terreno em que o prédio será erguido, bem como aos arredores da construção.

É de máxima importância que o comprador vá até o local em que deverá morar e investigue tudo: movimento da rua, valor médio do IPTU, proximidade com linhas de ônibus e metrô, risco de alagamento, equipamentos de lazer nos arredores, segurança, liquidez dos imóveis do bairro, existência de outros empreendimentos nas redondezas, entre outras coisas.

De fato, a aquisição de um imóvel deve ser encarada com a maior seriedade possível, principalmente quando se trata de comprar imóvel na planta. Afinal, você realizará um sonho e não vai querer que ele se torne um pesadelo, não é?

6. Não ter um fundo de reserva

Por maior que seja o seu preparo e planejamento para comprar imóvel na planta, existem situações que não podem ser controladas e tampouco previstas. É muito comum que alguns acontecimentos inesperados possam exigir gastos elevados e, caso isso ocorra após a compra do imóvel, é importante que não seja motivo para causar uma desestrutura financeira em sua família.

Por isso, antes de tomar a decisão definitiva de comprar imóvel na planta, monte um bom fundo de reserva, já que a possibilidade de acontecerem imprevistos e emergências é uma constante à qual todos estamos expostos.

Em outras palavras, além das parcelas do financiamento para adquirir o imóvel, as taxas extras, impostos, custos inerentes ao processo e todo o custo de vida de sua família, é fundamental poder contar com um fundo de reserva para eventualidades em potencial como:

  • o adoecimento de um parente;
  • a perda do emprego de algum membro da família que integre a fonte de renda mensal;
  • mudanças drásticas no cenário econômico ou no mercado;
  • um desastre natural ou um acontecimento que exija uma reforma grande e emergencial, entre muitas outras situações que fogem do seu controle ou da sua previsão.

Ter capital o suficiente para bancar o seu estilo de vida até que as coisas voltem ao normal não é um mero capricho, mas, sim, uma atitude coerente e sensata que você deve tomar antes de decidir comprar imóvel na planta.

7. Não considerar os eventuais reajustes

Apesar de ser muito mais barato comprar imóvel na planta, isso não significa que o processo não exige um grande planejamento financeiro. Afinal, como em qualquer transação imobiliária é preciso sempre contar com os reajustes que ocorrerão com o decorrer do tempo.

Cometer esse tipo de erro pode fazer com que as tão sonhadas suaves prestações e ausência de juros, se transformem em uma verdadeira bola de neve financeira após a entrega das chaves.

Portanto, antes de assinar o contrato e fechar negócio, é muito importante fazer simulações detalhadas sobre as condições oferecidas pela construtora. Só assine os documentos após ter total ciência sobre a política de juros e de que forma isso impactará as suas finanças no futuro.

8. Comprar algo que esteja fora do orçamento

Para concluirmos este conteúdo, não poderíamos deixar de mencionar um equívoco muito grave que as pessoas cometem logo nas primeiras etapas de um planejamento para comprar imóvel na planta.

Estamos nos referindo às atitudes baseadas em impulsividade ou na emoção do momento. Ou seja, há quem acredite que o simples fato das parcelas do financiamento se adequarem ao bolso, já é motivo para começar a empacotar os móveis e fazer as malas.

O que acontece é que há todo um padrão de vida familiar fundamentado nos ganhos atuais e que, a partir do momento que o contrato estiver assinado com a construtora, não há mais volta. Uma porcentagem considerável do orçamento estará comprometida por um longo período.

Ou seja, você terá de viver a mesma vida de antes, mas com menos capital para bancá-la, já que também terá o compromisso de arcar com uma dívida que durará por bastante tempo.

Vale mencionar, ainda, que até mesmo a região na qual o imóvel que está sendo construído deve ser considerada antes de uma decisão final ser tomada, pois o custo de vida de um bairro mais sofisticado pode gerar impactos financeiros aos quais você ainda não está preparado.

Como você pôde conferir neste artigo, existem diversos erros que milhares de pessoas cometem ao comprar imóvel na planta. No entanto, evitá-los não é uma tarefa tão difícil.

Basta se planejar com antecedência, buscar o auxílio de profissionais experientes, sempre pesquisar a respeito do histórico da construtora em questão e de sua situação com a justiça e, é claro, em hipótese alguma tomar uma decisão definitiva sem antes planejar minuciosamente o seu orçamento.

E você, está preparado para escolher bem o seu imóvel na planta? Quer saber mais sobre as maiores novidade sobre o mercado imobiliário? Então assine a nossa newsletter para se manter muito bem informado!

Gostou do texto?
Faça seu cadastro e receba todas as novidades do blog no seu email!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *